Bebidas

A Ginjinha Sem Rival

A Ginjinha Sem Rival

Contactos

Telefone:

(+351) 21 346 8231

Ligações:

FacebookFacebook

Morada:

Rua das Portas de Santo Antão 7
1150-268 Lisboa

Ver mapa

Horários:

Every day

07:00 - 24:00

A Loja

 A venda ao balcão é algo que hoje nos parece sobejamente trivial e, no entanto, como tudo, não existiu sempre. É difícil precisar que estabelecimentos em Lisboa primeiro o praticaram, mas sabemos que as Ginjinhas estiveram entre os pioneiros. A Sem Rival, a vizinha Espinheira, e A Tendinha do Rossio, aberta em 1840. Só não podemos afirmar que foram as primeiras porque se sabe que nas antigas carvoarias, geridas quase todas por galegos, também havia costume de vender vinho ao copo ao balcão. E que em muitas delas nem haveria mesas, apenas balcão. Como os espaços interiores destas duas casas são reduzidos, esta forma de servir promove a extensão das lojas rua afora, colorindo o Largo de São Domingos e a Rua das Portas de Santo Antão com a presença animada dos apreciadores de licor, que se reúnem de pé, com ou sem elas e, se possível, evitando os copos de plástico.


Fundada no final do século XIX pelo avô dos actuais proprietários, João Lourenço Cima, a Ginginha Sem Rival mantém a traça original, e provavelmente o trabalho em estilo Art Déco aparecerá numa actualização posterior, dado que este estilo prolifera na década de 1920. Começa o dia laboral a uma hora espantosa para um licor, oito da manhã, e serve todo o tipo de gostos até ao final do dia. Fica provado que não há hora nem necessidade de pretexto para um copo de ginjinha, ou de capilé ou de groselha, ou até do licor “Eduardino”, em homenagem ao palhaço que se pode ver no rótulo. Este palhaço, que atuava ali ao lado do Coliseu, era um cliente habitual. Certas versões da história dizem que esta teve lugar antes de um espetáculo (para inspirar) ou depois (para desanuviar). O certo é que Eduardo compôs num rasgo alegre de inspiração uma bebida com a esperada ginja mas também com anis e outros cheirinhos. A composição agradou tanto que pegou, em pouco tempo apareceu engarrafada e rotulada. Tornou-se marca registrada em 1908 e hoje é parte integrante da paisagem da loja. Num olhar mais detalhado, pode ler-se no rótulo a seguinte mensagem "Esta casa nunca concorreu a nenhuma exposição nacional nem estrangeira", uma modéstia ou moderação que de alguma forma a força peremptória do nome escolhido: Sem Rival!
Na Ginjinha Sem Rival preservam-se também as receitas de outros licores, algumas das quais deixaram de ser comercializadas. É também daqui que sai a ginja que se pode beber noutras casas de Lisboa, como a Tendinha do Rossio.

A Ginjinha Sem Rival
A Ginjinha Sem Rival

Produtos
& Serviços

Licor de ginja e licor “Eduardino”.

Partilhar esta Loja com História:

Explorar Explorar